segunda-feira, 19 de março de 2012

TV Tribuna, de Pernambuco, é processada por assédio moral



O Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco (Sinjope) acompanhou, nesta sexta-feira (16), nova audiência no Fórum da Justiça do Trabalho de Olinda sobre o processo da jornalista Veruska Lima contra a TV Tribuna, empresa do Grupo João Santos, afiliada da Rede Bandeirantes de Televisão (Band), por assédio moral. A sentença deverá ser proferida após o dia 17 abril.

Com apoio do Sindicato dos Jornalistas (Sinjope), Veruska Lima tem enfrentado todo tipo de dificuldade para combater o assédio moral, inclusive “enfrentando colegas de trabalho que não se limitam a depor pela empresa, chegando a mentir a ponto do juiz do processo identificar ‘contradições’ e decidir pela reinquirição de duas testemunhas, que pode motivar uma acareação e até em prisão por falso testemunho”, segundo informa matéria constante no site da entidade.

Veruska trabalhava na TV Tribuna desde 1999. E seu martírio começou após aceitar
convite e participar da eleição para Diretoria do Sinjope, ajudando na luta para por fim a abusos na área do registro e pagamento das jornadas de trabalho, especialmente horas extras. No dia 21 de janeiro do ano passado ela foi proibida de exercer a função
de repórter para a qual estava contratada e colocada “na geladeira”, num cubículo onde passava a tarde isolada de colegas. No mês seguinte, passou a cumprir sua jornada de seis horas/dia sem receber nenhuma tarefa. Após assumir a condição de dirigente sindical, seu conceito caiu na avaliação da direção da TV Tribuna, quando passou a "não corresponder às expectativas da empresa".

O assédio moral contra a jornalista foi denunciado no XVIII Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa (ENJAC), realizado no final do ano passado, em Natal, quando os participantes aprovaram, por unanimidade, Moção de Repúdio contra a TV Tribuna e o Grupo João Santos.

“Após ingressar com o processo, o assédio moral foi maior. Daí, para assegurar sua sobrevivência com dignidade, ela teve que abdicar do mandato sindical e se demitiu da Tribuna para conseguir um outro emprego”, conta o diretor do Sinjope e da FENAJ, Osnaldo Moraes Silva. “Mas não desistiu da luta, o processo continua e nós estamos com ela”, completa.

No processo contra a TV Tribuna Veruska conta com a ajuda e solidariedade da também jornalista Simone Vilar, primeira vítima conhecida da prática de assédio na empresa, que prestou depoimento no qual ficaram evidentes as semelhanças das ações praticadas contra as duas.

“Por pressões, profissionais de imprensa se dispõem a depor contra colegas e a favor dos patrões”, lamenta Osnaldo. Segundo ele, na audiência de hoje, ao ser questionada pelo juiz por contradição em declaração anterior, uma das testemunhas de defesa da empresa admitiu “ter se equivocado” ao dizer que Veruska exercia suas funções na TV Tribuna “sem restrições”.

Ao final da audiência ficou definido o dia 17 de abril para os argumentos finais de acusação e defesa.

Publicado no site: http://www.fenaj.org.br

Um comentário:

Assediados disse...

Conheça e faça parte do blog “Assediados”.
www.assediados.com
Um espaço onde vítimas de assédio ou dano moral podem relatar suas histórias, compartilhar experiências, e buscar caminhos para tornar o ambiente de trabalho um espaço seguro, onde seres humanos sejam tratados com o respeito e a dignidade que merecem. Um espaço onde você encontrará informações atualizadas sobre Assédio Moral no trabalho.
"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"