segunda-feira, 7 de maio de 2012

SEMINÁRIO DISCUTIU CONSCIENTIZAÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL NO JUDICIÁRIO


Seminário discutiu conscientização e combate ao assédio moral no judiciário;
O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Paraná (Sindijus-PR) realizou nesta sexta-feira (04) o Seminário sobre Assédio Moral. Tema que deve se tornar mais claro para os servidores, pois o assunto é complexo e temos a necessidade de absorver mais informações para poder combater essa prática. 
O seminário foi dividido em dois momentos, na parte da manhã houve apresentações de relatos de assédio moral em outras áreas pela representante do Sismuc, Alessandra Oliveira; Marisa Stedile, CUT-PR; e do Sinjus-MG, Robert França. O objetivo foi para que os participantes tivessem conhecimento de experiências vivenciadas e a forma que outras Entidades combatem essa violência no serviço público municipal, estadual e privado.
No período da tarde, a atividade recomeçou com demonstração de uma situação de assédio moral realizada pelo Grupo de Teatro Nus Partos. Após, houve uma mesa sobre as diversas visões a respeito do assédio moral e os avanços na sua prevenção. Participaram da exposição a mestre em Psicologia Social, Terezinha Martins dos Santos Souza, Bahia e o psicólogo Arthur Lobato, de Minas Gerais.
A psicóloga Terezinha falou a respeito do assédio moral no trabalho, que hoje é uma prática desumana que degrada as relações interpessoais e organizacionais. Geralmente é praticada pelos chefes e diretores que expõem os trabalhadores a humilhação. A prática de assédio moral é uma perseguição insistente, de ordem moral, que vem através de palavras, atos, gestos, ações dirigidas a uma pessoa específica e geralmente parte do superior hierárquico, prejudicando o desempenho organizacional. “É preciso criar um ambiente de trabalho onde haja democracia”, completou.
Já o psicólogo, Arthur Lobato, abordou as experiências sobre o combate do assédio moral no Judiciário de Minas Gerais, trabalho realizado junto com o Sinjus-MG e Serjusmig. Para ele, são necessárias campanhas de esclarecimento sobre o que é o assédio moral em palestras, seminários e grupos de estudos. No site dos Sindicatos foi desenvolvido um canal de ouvidoria, onde os trabalhadores podem denunciar violência sofrida no local de trabalho, de forma anônima. Mas, Arthur afirma que, além disso, é fundamental o fortalecimento e a união dos trabalhadores na denúncia dos abusos, dando visibilidade a essas práticas. “O assédio moral é questão política”, ressaltou.
Os servidores puderam esclarecer dúvidas quanto ao tema que atinge milhares de trabalhadores que sofrem com o assédio moral no local de trabalho. O servidor Alberto Carlos D. Souza disse que um dos principais problemas enfrentados pelo trabalhador assediado é a falta de provas, pois geralmente não está preparado para a situação. “A pessoa não deve ficar em silêncio, deve procurar a ajuda, para que não sofra depressão, ou seja, não entre em pânico”, destacou. 
O advogado Ludimar Rafanhim fez uma discussão mais ampla sobre o assédio moral em todos os seus aspectos. A partir de um Projeto de Lei sobre Assédio Moral que irá ser reapresentado na Assembleia Legislativa do Paraná, tendo como autor o deputado estadual Tadeu Veneri. 
Na sequência, os participantes tiveram oportunidade de debater assuntos como a problemática do assédio moral no ambiente de trabalho, prevenção e notificação de acidentes de trabalho com os fundamentos dados através das palestras com profissionais renomados acerca das temáticas. Desta forma, encaminhamentos sobre formas de combate ao assédio moral que tanto aflige a categoria foram decididos. 
Segundo o coordenador-geral do Sindijus-PR, o seminário visa à troca de informações que contribuam para a melhoria da qualidade de vida nos ambientes de trabalho, minimizando os riscos aos quais os servidores estão expostos nas suas atividades e ajudar a criar formas para combater os problemas de saúde que atingem diversas categorias.
Os participantes avaliaram o evento como positivo e afirmaram que outros assuntos de interesse dos trabalhadores serão oferecidos aos servidores.
O evento contou com a participação da mestra em Psicologia, Terezinha Martins dos Santos Souza (Assédio Moral no Trabalho), do deputado estadual Tadeu Veneri (PT), Luiz Fernando Pereira Souza (Fenajud), Marisa Stedile (CUT-PR), Robert Wagner França (Sinjus-MG), o psicólogo Arthur Lobato, Rui Viana da Silva (Serjusmig), Alessandra Oliveira (Sismuc) e Antonio Marcos Pacheco (Assojepar).

CARTILHA ASSÉDIO MORAL

A diretora do Sindijus-PR, Rosanna Ventura apresentou a cartilha sobre o assédio moral que o Sindicato vem desenvolvendo para orientar e conscientizar os servidores desta prática. Ela explicou aos participantes o conteúdo e o formato gráfico dela. 
Segundo a diretora, o assédio moral tem que ser combatido de forma coletiva e solidária, o Sindicato é a maior arma nessa luta para os servidores. 

ASSEMBLEIA

Pela manhã de hoje (04) aconteceu a Assembleia Geral Extraordinária com a pauta sobre Federação Nacional dos Servidores do Poder Judiciário nos Estados (Fenajud), a fim de discutir e deliberar as seguintes questões: Autorização da categoria para o Sindicato participar da Fenajud; Autorização da ratificação da fundação da Fenajud e de seus atos; autorização da filiação do Sindicato à Fenajud; e a eleição de delegados representantes do Sindicato para participar da Assembleia de Ratificação da Fenajud. Todos os itens sendo aprovados por unanimidade pelos participantes.
Logo após, ocorreu a Assembleia Geral Ordinária que apresentou a Prestação de Contas do exercício de 2011 do Sindijus-PR aos servidores. Também aprovado por unanimidade.


Um comentário:

Assediados disse...

Conheça e faça parte do blog “Assediados”.
www.assediados.com
Um espaço onde vítimas de assédio ou dano moral podem relatar suas histórias, compartilhar experiências, e buscar caminhos para tornar o ambiente de trabalho um espaço seguro, onde seres humanos sejam tratados com o respeito e a dignidade que merecem. Um espaço onde você encontrará informações atualizadas sobre Assédio Moral no trabalho.
"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"